#NextGiantLeap

#NextGiantLeap

Credits: NASA

Credits: NASA

 

Uma imagem capturada pelo veículo da NASA, Rover, na superfície de Marte tem gerado uma acessa discussão entre os cibernautas

Uma imagem capturada pelo veículo da NASA, Rover, na superfície de Marte tem gerado uma acessa discussão entre os cibernautas

Uma imagem capturada pelo Curiosity rover da NASA a14 de agosto está a causar uma grande celeuma entre os cibernautas que afirmam identificar um “osso de uma coxa alien” no solo do Planeta Vermelho. “Normalmente, eu vejo rochas como rochas”, disse um comentador: “Isto não pode ser um osso da coxa, pode?” Outros sugerem que esta descoberta é apenas o resultado da tendência do cérebro humano para detetar padrões familiares em elementos que são aleatórios …

http://www.coasttocoastam.com/article/alien-coxa-bone-on-mars

A propósito desta imagem:

“Dr. Shermer also provides the neuroscience behind our beliefs. The brain is a belief engine. From sensory data flowing in through the senses the brain naturally begins to look for and find patterns, and then infuses those patterns with meaning. The first process Dr. Shermer calls patternicity: the tendency to find meaningful patterns in both meaningful and meaningless data. The second process he callsagenticity: the tendency to infuse patterns with meaning, intention, and agency.”

in http://www.michaelshermer.com/the-believing-brain/

 

Para mim, é um osso de uma das minhas coxas.

No futuro vivi e morri em Marte e são agora, no presente, encontradas provas da minha presença por lá.

 

Supersize it!

A nave espacial Orion foi projetada para acomodar os astronautas de “grandes dimensões” (entre 4’10 “- 6’5”)

Orion Credits: NASA

Orion
Credits: NASA

https://www.facebook.com/NASASLS

https://www.facebook.com/NASA

https://www.facebook.com/NASAOrion

Orion Credits: NASA

Orion
Credits: NASA

 

#Apollo45

O mundo celebra este ano os 45 anos da chegada do Homem à Lua.

Com as celebrações oficiais concentradas entre os dias 16 e 24 do corrente mês  e “encabeçadas” por Buzz Aldrin, a NASA preparou diferentes formas de assinalar este aniversário, dando maior atenção às redes sociais.

Assim, através do Facebook (facebook.com/NASAKennedy) ou do Twitter (twitter.com/NASAKennedy) os internautas poderam acompanhar, de forma cronológica, o lançamento de 16 de Julho de 1969.

OS ASTRONAUTAS

Neil Armstrong

Neil Armstrong

Buzz Aldrin

Buzz Aldrin

Michael Collins

Michael Collins

 

 

Visão interessante da informática utilizada em 1969, feita pela Computer Weekly

De acordo com a revista britânica, segundo os standards atuais, a tecnologia utilizada no programa Apollo não era mais poderosa que uma calculadora de bolso. No entanto, muito do conhecimento obtido com os sistemas desenvolvidos para o programa são a base da informática moderna.

in http://www.computerweekly.com/feature/Apollo-11-The-computers-that-put-man-on-the-moon

By today’s standards, the IT Nasa used in the Apollo manned lunar programme is pretty basic. But while they were no more powerful than a pocket calculator, these ingenious computer systems were able to guide astronauts across 356,000 km of space from the Earth to the Moon and return them safely.

The lunar programme led to the development of safety-critical systems and the practice of software engineering to program those systems. Much of this knowledge gleaned from the Apollo programme forms the basis of modern computing.

Apollo Guidance Computer

The lunar mission used a command module computer designed at MIT and built by Raytheon, which paved the way to “fly by wire” aircraft.

The so-called Apollo Guidance Computer (AGC) used a real time operating system, which enabled astronauts to enter simple commands by typing in pairs of nouns and verbs, to control the spacecraft. It was more basic than the electronics in modern toasters that have computer controlled stop/start/defrost buttons. It had approximately 64Kbyte of memory and operated at 0.043MHz.

The instruction manual for the AGC shows the computer had a small set of machine code instructions, which were used to program the hardware to run various tasks the astronauts needed.

The AGC program, called Luminary, was coded in a language called Mac, (MIT Algebraic Compiler), which was then converted by hand into assembler language that the computer could understand. The assembler code was fed into the AGC using punch cards.

Amazingly, the code listing for the AGC program can be downloaded as a PDF file. There is also an equivalent program for the lunar lander.

The AGC was designed to be fault-tolerant and was able to run several sub programs in priority order. Each of these sub programs was given a time slot to use the computer’s sparse resources. During the mission the AGC became overloaded and issued a “1202” alarm code.

Neil Armstrong asked Mission Control for clarification on the 1202 error. Jack Garman, a computer engineer at Nasa, who worked on the Apollo Guidance Program Section, told mission control that the error could be ignored in this instance, which meant the mission could continue. Apollo 11 landed a few seconds later.

Experts cite the AGC as fundamental to the evolution of the integrated circuit. It is regarded as the first embedded computer.

The importance of this computer was highlighted in a lecture by astronaut David Scott who said: “If you have a basket ball and a baseball 14 feet apart, where the baseball represents the moon and the basketball represents the Earth, and you take a piece of paper sideways, the thinness of the paper would be the corridor you have to hit when you come back.”

While the astronauts would probably have preferred to fly the spacecraft manually, only the AGC could provide the accuracy in navigation and control required to send them to the Moon and return them safely home again, independent of any Earth-based navigation system.

BM computers on Apollo 11

Along with the APG, mainframes were also heavily used in the Apollo programme. Over 3,500 IBM employees were involved, (pictured below). The Goddard Space Flight Center used IBM System/360 Model 75s for communications across Nasa and the spacecraft. IBM Huntsville designed and programmed the Saturn rocket instrument unit, while the Saturn launch computer at the Kennedy Space Center was operated by IBM.

An IBM System/360 Model 75 was also used at Nasa’s Manned Spacecraft Center in Houston. This computer was used by Neil Armstrong and Buzz Aldrin to calculate lift-off data required to launch the Lunar Module off the Moon’s surface and enable it to rendezvous with Command Module pilot Michael Collins for the flight back to Earth.

At the time, IBM described the 6Mbyte programs it developed, to monitor the spacecrafts’ environmental and astronauts’ biomedical data, as the most complex software ever written.

Even the simplest software today would far exceed the technical constraints the Apollo team worked under. The Apollo programme was pre-Moores’s Law: in 1965 Intel co-founder Gordon Moore wrote his vision of how the performance of computer hardware would double every 18 months for the same price.

That a USB memory stick today is more powerful than the computers that put man on the moon is testimony to the relentless pace of technological development encompassed in Moore’s Law. However, the Apollo programme proved that computers could be entrusted with human lives. Man and machine worked in unison to achieve something that 40 years on, has yet to be surpassed.

 

 

 

 

www.leparisien.fr www.correiodopovo.com.br Programação da RTP em 20 de Julho de 1969

A CHEGADA

http://youtu.be/S9HdPi9Ikhk

NASA Channel on Youtube

Credits

by 
National   Air   and   Space   Museum

(http://airandspace.si.edu/explore-and-learn/topics/apollo/apollo-program/landing-missions/apollo11.cfm)

From NASA SP-214, Preliminary Science Report

adaptação
by Sandra Terenas Moreira

APOLLO 11 (AS-506)

 

A missão Apollo 11 partiu de Cabo Kennedy, na Florida a 16 de julho de 1969. Depois de 2 h e 33 min na órbita da Terra, o motor S-IVB reiniciou-se e levando à aceleração do foguetão Saturn V à velocidade necessária para escapar à gravidade terrestre.

O processo de inserção em órbita lunar teve início decorridas 75:50 GET (Ground Elapsed Time), tendo o Saturn V sido colocada numa órbita elíptica (de 61 por 169 milhas náuticas), com uma inclinação de 1,25 graus em relação ao plano equatorial lunar. Às 80:12 GET, o sistema de propulsão do módulo de serviço foi reiniciado, permitindo executar uma órbita quase circular (de 66 por 54 milhas náuticas) acima da superfície da Lua. Cada órbita demorou 2 horas. As fotografias tiradas da órbita lunar permitiram ampliar o conhecimento da geologia lunar.

O módulo lunar (LM), com os astronautas Armstrong e Aldrin a bordo, separou-se do módulo de comando de serviço (CSM) às 100:14 GET, depois de concluída uma verificação completa a todos os sistemas. Às 101:36 GET, o motor de descida do LM foi reiniciado por aproximadamente 29 seg, começando a descida até à superfície lunar. Às 102:33 GET, o motor de descida LM foi novamente iniciado e manteve a combustão até ao impacto com a superfície lunar. O Eagle pousou na Lua 102 h, 45 min e 40 seg após o lançamento.

Buzz Aldrin momento da descida até à superfície lunar. A fotografia foi tirada por Neil  Armstrong, com uma câmara de 70mm. NASA ID#AS11-40-5868 Image Number: AS11-40-5868 Credit: NASA

Buzz Aldrin momento da descida até à superfície lunar. A fotografia foi tirada por Neil Armstrong, com uma câmara de 70mm.
NASA ID#AS11-40-5868
Image Number: AS11-40-5868
Credit: NASA

Imediatamente após pousar na Lua, Armstrong e Aldrin prepararam o LM para a descolagem como medida de contingência. Depois de uma refeição, os astronautas tinham um período de sono agendado que acabaria por ser adiado a seu pedido, permitindo-lhes começaram os preparativos para a descida até a superfície lunar.

O astronauta Armstrong saiu do módulo em primeiro lugar, lançando o Equipment Stowage Assembly (MESA), no qual estava instalada a câmara de televisão que gravou o primeiro passo da humanidade na Lua às 109:24:19 GET. Uma amostra de material da superfície lunar foi recolhida e guardada, garantindo que, em caso de ser imposto um fim precoce às atividades programadas para executar na superfície, ela devolvida à Terra. Seguiu-se a descida de Aldrin para a superfície lunar.

 Buzz Aldrin pousa ao lado da bandeira dos Estados Unidos. Na imagem pod-se ver parte do módulo lunar e das pegadas que s dois astronautas deixaram na superfície da Lua. Imagem tirada por Neil Armstrong com uma câmara de 70 mm. NASA GRIN #GPN-2001-000012 Image Number: GPN-2001-000012 Credit: NASA

Buzz Aldrin pousa ao lado da bandeira dos Estados Unidos. Na imagem pod-se ver parte do módulo lunar e das pegadas que s dois astronautas deixaram na superfície da Lua.
Imagem tirada por Neil Armstrong com uma câmara de 70 mm.
NASA GRIN #GPN-2001-000012
Image Number: GPN-2001-000012
Credit: NASA

Os astronautas realizaram a sequência de actividades programadas que incluiu um equipamento destinado a experiências sobre os ventos solares (Solar Wind Composition – SWC), a recolha de mais amostras de material lunar, fotografias panorâmicas da região da alunagem e do horizonte lunar, grandes planos da superfície, a implantação de um retroreflector de laser Laser-Ranging Retroreflector – LRRR) e um conjunto de instrumentos para testes sísmicos (Passive Seismic Experiment Package – PSEP).

Cerca de 2 h e 15 min depois de descer para a superfície, os astronautas começaram os preparativos para reentrar no LM. Armstrong e Aldrin foram então dormir. A descolagem da superfície lunar começou às 124:22 GET, 21 h e 36 min após a chegada. No regresso, apenas foi necessário executar uma das quatro correções de rota programadas.

O CM entrou na atmosfera da Terra a uma velocidade de 11.032 m/seg, pousando no Oceano Pacífico.

Da NASA SP-214, Preliminary Science Report.

 

APOLLO 11 (AS-506)

Lunar Landing MissioN

Apollo 11 was the first manned mission to land on the Moon. The first steps by humans on another planetary body were taken by Neil Armstrong and Buzz Aldrin on July 20, 1969. The astronauts also returned to Earth the first samples from another planetary body. Apollo 11 achieved its primary mission – to perform a manned lunar landing and return the mission safely to Earth – and paved the way for the Apollo lunar landing missions to follow.

Summary of Events

The Apollo 11 spacecraft was launched from Cape Kennedy at 13:32:00 UT on July 16, 1969. After 2 hr and 33 min in Earth orbit, the S-IVB engine was reignited for acceleration of the spacecraft to the velocity required for Earth gravity escape.

Lunar-orbit insertion began at 75:50 ground elapsed time (GET). The spacecraft was placed in an elliptical orbit (61 by 169 nautical miles), inclined 1.25 degrees to the lunar equatorial plane. At 80:12 GET, the service module propulsion system was reignited, and the orbit was made nearly circular (66 by 54 nautical miles) above the surface of the Moon. Each orbit took two hours. Photographs taken from lunar orbit provided broad views for the study of regional lunar geology.

The lunar module (LM), with Astronauts Armstrong and Aldrin aboard, was undocked from the command-service module (CSM) at 100:14 GET, following a thorough check of all the LM systems. At 101:36 GET, the LM descent engine was fired for approximately 29 seconds, and the descent to the lunar surface began. At 102:33 GET, the LM descent engine was started for the last time and burned until touchdown on the lunar surface. Eagle landed on the Moon 102 hr, 45 min and 40 sec after launch.

Immediately after landing on the Moon, Armstrong and Aldrin prepared the LM for liftoff as a contingency measure. Following the meal, a scheduled sleep period was postponed at the astronauts’ request, and the astronauts began preparations for descent to the lunar surface.

Astronaut Armstrong emerged from the spacecraft first. While descending, he released the Modularized Equipment Stowage Assembly (MESA) on which the surface television camera was stowed, and the camera recorded humankind’s first step on the Moon at 109:24:19 GET (pictured at left). A sample of lunar surface material was collected and stowed to assure that, if a contingency required an early end to the planned surface activities, samples of lunar surface material would be returned to Earth. Astronaut Aldrin subsequently descended to the lunar surface.

The astronauts carried out the planned sequence of activities that included deployment of a Solar Wind Composition (SWC) experiment, collection of a larger sample of lunar material, panoramic photographs of the region near the landing site and the lunar horizon, closeup photographs of in place lunar surface material, deployment of a Laser-Ranging Retroreflector (LRRR) and a Passive Seismic Experiment Package (PSEP), and collection of two core-tube samples of the lunar surface.

Approximately two and a quarter hours after descending to the surface, the astronauts began preparations to reenter the LM, after which the astronauts slept. The ascent from the lunar surface began at 124:22 GET, 21 hours and 36 minutes after the lunar landing. In transearth coast only one of four planned midcourse corrections was required. The CM entered the atmosphere of the Earth with a velocity of 36,194 feet per second (11,032 meters per second) and landed in the Pacific Ocean.

From NASA SP-214, Preliminary Science Report.

 

O INÍCIO DA AVENTURA

Credits

by NASA’s Kennedy Space Center
adaptação
by Sandra Terenas Moreira

Good Morning everyone and welcome to today’s launch coverage of Apollo 11 launch. 
As their Saturn V rocket stands ready at Launch Pad 39A, astronauts Aldrin, Collins and Armstrong have just been awakened. Next up a quick breakfast before proceeding to suit up

Enquanto o foguetão Saturno V está a postos na plataforma de lançamento 39A, os astronautas Aldrin, Collins e Armstrong  acabaram de acordar, após o que tomarão um pequeno-almoço rápido. Depois do café da manhã, será vez de vestirem os fatos espaciais

 

The Apollo 11 crew & Deke Slayton are discussing the mission over a traditional launch day breakfast of steak & eggs

Durante o pequeno-almoço constituído por bife e ovos, a tripulação da Apollo 11 e Deke Slayton discutem os últimos pormenores da missão.

 

 

 

As the crew finalizes breakfast, here are some images of astronauts Neil Armstrong and Buzz Aldrin participating in lunar surface simulation training back in April at the Manned Spacecraft Center (MSC)

Em Abril, os astronautas (Neil Armstrong e Buzz Aldrin as imagens) participaram num treino de simulação da superfície lunar no Manned Spacecraft Center (MSC)

 

 

Apollo 11 crew has finalized breakfast & is starting the process of suiting up for launch. Launch continues on track for 9:32 a.m EDT. 
Here are some images of Aldrin and Armstrong as they start the suit up process in preparation for today’s launch

A tripulação da Apollo 11 começa o processo de vestir os fatos espaciais. O lançamento está marcado para as 09:32 EDT

(Neil Armstrong e Buzz Aldrin as imagens)

 

 

Technician Joe Schmitt assist Apollo 11 Command Module Pilot Michael Collins with suit-up for launch

O técnico Joe Schmitt apoia o Michael Collins, piloto do Módulo de Comando, na preparação do seu fato espacial

 

 

Here we can see Apollo 11 crew members Aldrin and Armstrong finalizing suiting up prior to departing for the van that will take them to launch Pad 39A to meet up with the Saturn V rocket

Neil Armstrong e Buzz Aldrin antes de embarcarem no  vaivém que os conduzirá à plataforma de lançamento 39A para se encontrar com o foguete Saturno V

 

Image coming in of Apollo 11 crew walking the hallways of the Manned Spacecraft Operations Building (MSOB) en route to the van that will take them to Pad 39A

A tripulação da Apollo 11 percorre os corredores da Manned Spacecraft Operations Building (MSOB) a caminho do vaivém que os levará à plataforma

 

Back-up Apollo 11 pilot Bill Anders gives the crew a send-off as they enter the elevator in the MSOB

O piloto de apoio da Apollo 11, Bill Anders despede-se da equipa à entrada do elevador no MSOB

 

Neil Armstrong waves to the crowd as the Apollo 11 crew exits the MSOB & boards the van that will take them to Pad 39A

Neil Armstrong acena à para a multidão à saída da tripulação do MSOB em direção ao vaivém

 

 

As we await the crews’ arrival at Pad 39A, here are some images of the Apollo 11 Saturn V being rolled out of the Vehicle Assembly Building back in May

Enquanto se aguarda a chegada dos tripulantes à plataforma, ficam algumas imagens da Apollo 11 e do Saturn V lançados do Vehicle Assembly Building em  maio

 

Pic of Armstrong & Collins crossing the CM access walkway on swing arm

Launch still scheduled for 9:32a ET

Armstrong e Collins cruzam a passadeira de acesso no braço oscilante Lançamento agendad0 para as 09:32

 

We’re at T-2hrs & 21min, Apollo 11 crew is now aboard the CM atop the Saturn V

Estamos em T-2hrs e 21min e a tripulação da Apollo 11 está agora a bordo do CM no Saturno V

Ficheiro áudio do centro de controlo:

https://history.nasa.gov/ap11fj/audio/t-0022100.mp3

http://1.usa.gov/1jI8War

(pff, aceitar certificado de segurança  caso seja solicitado)

 

Image of Saturn V was taken during the Countdown Demonstration Test

Imagem de Saturno V tirada durante o teste de demonstração de contagem regressiva

 

This is the scene here at the KSC Press Area, news media representatives from around the country and world are now gathering in preparation for launch of Apollo 11. As we get closer to launch we might be in the thousands
Na área de imprensa do Kennedy Space Center, representantes dos média nacionais e estrangeiros estão reunidos para o lançamento da Apollo 11. À medida que se aproxima a hora do lançamento o número deverá ter ascendido aos milhares

 

 

Apollo 11 crew has arrived at Pad 39A, & they are currently en route to the crew module a top the Saturn V rocket

A tripulação da Apollo 11 chegou à plataforma 39A, encaminhando-se para o módulo da tripulação no topo do foguetão Saturno V

Ficheiro áudio do centro de controlo:

https://history.nasa.gov/ap11fj/audio/t-0024040.mp3

http://1.usa.gov/WcrV2q

(pff, aceitar certificado de segurança  caso seja solicitado)

 

We’re at T minus 1 hour, 30 minutes, 55 seconds and counting here’s NASA’s voice of launch control, Jack King with the latest update

Estamos em T menos 1 hora, 30 minutos, 55 segundos e em contagem, aqui é a voz de controlo de lançamento, Jack King, da NASA com a atualização mais recente

Ficheiro áudio do centro de controlo:

https://history.nasa.gov/ap11fj/audio/t-0013055.mp3

http://1.usa.gov/1jPc9oJ
(pff, aceitar certificado de segurança  caso seja solicitado)

 

 

Here’s the scene at the Launch Control Center in Firing Room 1: NASA and contractor managers and engineers monitor computer consoles ensuring all is ready for liftoff of Apollo 11

We’re at T minus 61 minutes and counting, listen in to the latest update:

Podemos ver o cenário no Centro de Controlo de Lançamento no Firing Room 1: NASA,  construtores e engenheiros monitorizam os dados, garantindo que tudo está pronto para a descolagem da Apollo 11

Estamos em T menos 61 minutos e em contagem, com a atualização mais recente:

Ficheiro áudio do centro de controlo:

https://history.nasa.gov/ap11fj/audio/t-0010100.mp3

http://1.usa.gov/1tQRYuQ

 

 

 

Here’s an image to provide everyone with some perspective of the white room and where the crew of #Apollo11 is currently located. 

Image of the Pad Leader Guenter Wendt (kneeling at the hatch) and Apollo 11 crew in the command module earlier this week during the Countdown Demonstration Test, which is a dress rehearsal prior to the actual launch day

We’re at T-30min and counting. Launch scheduled for 9:32 a.m. EDT

Aqui está uma imagem para dar uma ideia da sala quarto branca onde a tripulação da Apollo11 ​​se encontra

Guenter Wendt (ajoelhado na escotilha) e a tripulação da Apollo 11 no módulo de comando no início da semana do lançamento, durante o teste de demonstração de contagem decrescente, fazendo um ensaio geral antes do grande dia

Estamos em T-30min e em contagem. Lançamento previsto para 09h32 EDT

 

LANÇAMENTO

 

We’re at T-6min and counting. Listen in as #NASA managers prepare to give the “Go” / No “Go” for the launch of #Apollo11

Estamos em T-6min e em contagem. Ouça como a NASA se prepara para dar o Go ou No Go para o lançamento da Apollo11

Ficheiro áudio do centro de controlo:

https://history.nasa.gov/ap11fj/audio/t-0000600.mp3

http://1.usa.gov/1rqLCOp

 

T-4min & 15sec for #Apollo11 launch. Listen to NASA’s voice of launch control, Jack King: 

T-4min 15seg para o lançamento da Apollo11​​. Ouça a voz do controlo de lançamento, Jack King, da NASA:

Ficheiro áudio do centro de controlo:

https://history.nasa.gov/ap11fj/audio/t-0000415.mp3

http://1.usa.gov/WcyG4d

 

We’re at T-1min, everything looks good for #Apollo11 liftoff. Listen in:

Estamos em T-1min, tudo parece bem para a descolagem da Apollo11. Ouça em:

Ficheiro áudio do centro de controlo:

https://history.nasa.gov/ap11fj/audio/t-0000135.mp3

http://1.usa.gov/1n2dRUg

 

“Ignition sequence start.” The five massive engines of the Saturn V first stage begin building up to 7.5 million pounds of thrust

“Início da sequência de ignição”. Os cinco motores enormes da primeira etapa do Saturno V iniciam os 7,5 milhões de libras de impulso

 

Liftoff of Apollo11. The 363-foot-tall, six million pound Saturn V is launched with Neil Armstrong, Mike Collins and Buzz Aldrin aboard

Liftoff da Apollo11​​. A 363 metros de altura, o Saturno V é lançado com Neil Armstrong, Mike Collins e Buzz Aldrin a bordo

 

The Saturn V launch vehicle flies through 5,000 feet. This double exposure includes the American flag

O veículo de lançamento Saturno V voa a 5000 pés. A imagem inclui a bandeira americana

 

Saturn V second stage ignites as the #Apollo11first stage falls away at an altitude of about 38 miles, 55 miles downrange from Kennedy Space Center

Na segunda etapa, o Saturno V inflama enquanto a primeira fase da Apollo11cai a uma altitude de cerca de 38 milhas, a cerca de 55 milhas do Centro Espacial Kennedy

 

 

Find out what our Next Giant Leap will be, at:

http://1.usa.gov/U9OuD2

http://blogs.nasa.gov/bolden/2014/07/14/building-on-apollo-11-for-the-next-giant-leap/

12 thoughts on “#NextGiantLeap

  1. é fácil perceber a influência que a exploração espacial tem na nossa geração… a exploração espacial e a ficção científica! eu não existia na altura da chegada à Lua, mas lembro-me muito bem da partida e da chegada do 1º shuttle. saímos mais cedo da escola e tudo! espero ver por aqui qualquer coisa do shuttle! e vamos ou não a Marte ainda durante a nossa vida?
    muito fixe vivermos coisas destas.

    • Concordo. E não devemos ser só nós. por alguma razão, a astronomia é a ciência com maior número de praticantes amadores. acho que é o apelo do desconhecido aliado à aventura que desperta o interesse.
      Também eu saí mais cedo da escola por causa do space shuttle, mas não me lembro se foi à partida ou à chegada… já tinha pensado fazer um post sobre o shuttle. Afinal, representou para nós o que a chegada à Lua representou para os nossos pais.
      Também acho cool podermos assistir a estas “aventuras” científicas. Parece que dá uma maior esperança na Humanidade. São os descobridores dos nossos tempos!
      Obrigada pelo comentário

  2. Já percebi que somos muitos aqueles que gostam de matérias ligadas à exploração espacial. E ao contráruio do que muitos por aí dizem, mais da realidade do que da ficção, até porque a primeira ultrapassa em muito a segunda. Boa ideia a de traduir os textos da NASA. Vamos ter uma actualização amanhã? Aproveito para lhe deixar uma sugestão: faça uma página dedicada à sonda Rosetta, até porque já percebi que também está a par. Deixe-me adivinhar, é mais um conmo os Xutos “queria ser astronauta, mas o meu país não me deixou”…
    Bem haja!

    • Hei, Space Traveller, obrigada pelo comentário.
      Está cheio de razão quanto à realidade ultrapassar a ficção e ainda bem.
      Quanto à actualização, conto fazer isso mesmo, até porque é amanhã que se celebra a alunagem e o famoso passeio do Armstrong. Não prometo, mas vou tentar, tendo por base o que a NASA fizer, provavelmente. Infelizmente, não há tempo para mais e mesmo para isso é complicado.
      A Rosetta terá direito a uma página própria, sim. Merece, claro, é mais um assunto fundamental da exploração espacial dos nossos dias. E vai ser antes da chegada ao 67P!
      Claro que sou como os Xutos. Tristemente, nasci no sítio errado…

  3. Não respondeu à pergunta do 1º comentário. Acha que vampos ver o homem em Marte antes de morrermos? Tenho 40 anos e acredito que sim. Que lhe parece?
    Continue com esta página e estenda-a a outros assuntos ligadpos ao espaço.
    Já agora, a sua selfie é genial…

    • Obrigada pelo elogio à selfie!
      Eu acredito que o Homem vai conseguir chegar a Marte durante as nossas vidas, sim. Muitos defendem que se os US se tivessem dedicado a isso mais cedo, nomeadamente, a investir em formas de deslocação mais eficientes e em colaborar com a Europa na ISS, em vez de ter apostado tanto no programa do shuttle, em conjunto com a ESA e com a Roscosmos, o homem poderia chegar a Marte até 2017. E em matéria de apoio por parte da sociedade, e para a NASA isso é fundamental, teria sido bastante mais frutuoso que o programa do shutlle.
      Volte sempre que quiser e que lhe apetecer.

  4. Também eu gosto da ideia de teres uma página dedicada ao espaço até porque quem te conhece bem estava admirado de ainda não o teres feito. E nada mais apropriado que começar pela chegada do homem a Lua e pela longa jornada da Rosetta. Tens que tentar encontrar aquele astrónomo que faz a rubrica na RTP1. Talvez ele tenha uma página que e possa ajudar com os termos técnicos. Não deve ser nada fácil adaptá-los!
    Quanto a Marte, não sou tão optimista como vocês. Reconheço que já teremos tecnologia queo permite, não a mais convencional, mas acho que não existe vontade política. Pelo menos, não do lado dos US.
    Continua, sis, may the force be with you…

    • May the force be you, @Hoort Cloud!
      Não o vou procurar. Vou colocar os links originais para que possam ler em inglês. Quem se interessa pela matéria percebe claramente em inglês. Irei postar uns links mas apenas de instituições, que é mais fiável.

  5. UA! Parece que temos por aqui uma verdadeira comunidade de nerds! Ainda bem e ainda para mais liderada por uma mulher. Maravilhoso! Pode ser que façam uma versão nacional da TBBT inspirada em nós.
    Marte parece-me um objectivo atingível no tempo das nossas vidas, tecnologicamente falando. Mas acredito que os caminhos seguidos pela ESA fazem mais sentido para a ciência.
    Um abraço!

    • @Afonso, já demorava a tua presença por aqui. Nem isto ficaria completo sem ti.
      Uma adaptação da TBBT connosco, eu acho que seria ainda melhor que o original. Suponho que eu seria a Amy… Adorava ver! Tu seria quem? O Raj?

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s