DogTV


DogTV

Melro

Os norte-americanos, sempre na vanguarda do que o público quer em matéria de televisão, inauguraram recentemente as emissões daquilo que se anuncia como a maior revolução em TV desde a MTV.

O novo canal, que está já a causar sensação, chama-se DogTV e é exclusivamente dedicado aos melhores amigos do homem, os cães. Para quando um canal dedicado aos melhores amigos das mulheres, os diamantes? E não estejam todas a fazer esse ar de falsas moralistas, porque todas vocês gostariam de ter um. Mais que não fosse, para o venderem e poderem ir de férias.

De volta ao DogTV.

Segundo os seus criadores, o novo canal foi concebido tendo em conta apenas as necessidades e os interesses dos nossos fiéis amigos de quatro patas – não que nós não tenhamos também quatro patas, só não gostamos de o admitir -, desde a programação até às técnicas de filmagem utilizadas.

Assim, da programação constam momentos tão estimulantes como passeios com os humanos e correrias e tropelias com outros amigos, tudo ao ar livre porque a actividade física no meio natural é fundamental para a saúde destes animais. Não poderia estar mais de acordo.

Os programas são gravados considerando as especificidades biológicas dos caninos: os operadores de câmara filmam sempre de joelhos para que a imagem tenha uma perspectiva aproximada do campo de visão do animal. A cor foi outra das preocupações dos inventores deste canal: os cães vêem o mundo com outras cores, menos intensas e menos diversificadas das do olho humano, pelo que a imagem dos programas do DogTV são em, digamos, tons mais suaves.

Posto isto, apresento uma reclamação.

Não tenho, infelizmente, um cão como animal de companhia, por razões económico-financeiro-logísticas. Por isso, quero um canal dedicado a gatos, com realilty shows  cheios de ratos ninfomaníacos, outro a periquitos, com programas dedicados às complexidades da cultura da alpista, e um terceiro a tartarugas, com anúncios institucionais sobre as formas mais eficazes de voltarem à sua posição normal depois de ficarem de carapaça para baixo.

Pensando bem, não quero nada disto, tal como não quereria um canal dedicado ao meu cão, se o tivesse.

Afinal, eu gosto dos meus animais de companhia o suficiente para não querer que eles se transformem em humanos com formas físicas diferentes.

Quem gostaria de ver o seu cão, o seu gato ou a sua tarântula estupidificados no sofá a comer fast food em frente ao televisor? Eu não. Para isso, arranjo um humano de estimação.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s